Zen Pencils 214. Hemingway: Uma vida solitária


Escrever, na melhor das hipóteses, é uma tarefa solitária.
Organizações de escritores são paliativos para essa solidão do escritor, mas duvido que melhorem a sua escrita.
Ele cresce no status público à medida que se afasta da solidão, porém, é frequente seu trabalho se deteriorar.
Pois ele faz o seu trabalho sozinho…
…e, se ele é um escritor bom o suficiente…
…ele deve encarar a eternidade, ou a falta dela, a cada dia.
Para um verdadeiro escritor, cada livro deve ser um novo começo…
…onde ele tenta, novamente, algo que vai além do que é possível.
Ele deve tentar alcançar algo que nunca foi feito antes…
…ou que outros tentaram e falharam.
Então, algumas vezes…
…com muita sorte…
…ele conseguirá.

Trecho do discurso do Prêmio Nobel “Ernest Heminway – Discurso do Banquete“.
Arte © Gavin Aung Than
Tradução © Uninuni.com

Confira as outras ilustrações do Zen Pencils.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *