Zen Pencils 201. Ludwig van beethoven: A arte não tem limites


Você pergunta de onde vêm as minhas ideias. Isto eu não posso responder com certeza.
Elas vêm sem serem invocadas, direta ou indiretamente – eu poderia alcançá-las com minhas mãos – flutuando no ar, na floresta enquanto caminho…
… No silêncio das noites, cedo nas manhãs.
Incitadas pelo humor, as quais são traduzidas pelo poeta em palavras…
… Por mim, em tons que soam…
… E rugem e trovejam sobre mim, até que eu as imprima em notas.
Não pratique a arte apenas, vá até a profundeza do seu coração. Isto ela merece.
Pois apenas a arte e a ciência elevam o homem ao patamar dos deuses.
O verdadeiro artista não sente orgulho.
Ele, infelizmente, vê que a arte não possui limites.
Ele percebe sombriamente o quão longe está de seu objetivo.
E mesmo sendo admirado por outros…
… Ele fica triste por não ter atingido o ponto…
… No qual o melhor da sua genialidade aparece como uma estrela guia sempre distante.

Texto © Ludwig Van Beethoven
Arte © Gavin Aung Than
Tradução © Uninuni.com

Confira as outras ilustrações do Zen Pencils.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *