Sessão Curta – Ilha das Flores


Hoje a Sessão Curta irá apresentar um clássico brasileiro.

Ilha das flores é o xodó dos professoras da oitava série por ser um curta (consequentemente, curto) e tratar de um assunto tão interessante de uma forma lúdica mas, nem por isso, menos crítica.

Um ácido e divertido retrato da mecânica da sociedade de consumo. Acompanhando a trajetória de um simples tomate, desde a plantação até ser jogado fora, o curta escancara o processo de geração de riqueza e as desigualdades que surgem no meio do caminho.

Esse curta ganhou o Urso de Prata no Festival de Berlim 1990,
Prêmio Crítica e Público no Festival de Clermont-Ferrand 1991,
Melhor Curta no Festival de Gramado 1989,
Melhor Edição no Festival de Gramado 1989,
Melhor Roteiro no Festival de Gramado 1989,
Prêmio da Crítica no Festival de Gramado 1989,
e o Prêmio do Público na Competição “No Budget” no Festival de Hamburgo 1991.

Como ele é um curta com mais de 10 minutos… está dividido em duas partes… por isso é interessante deixar os dois carregando e, depois, assisti-los juntos… de uma só vez

Peguem suas pipocas e Have Fun.

Ilha das Flores – Jorge Furtado

http://www.youtube.com/watch?v=Zfo4Uyf5sgg
http://www.youtube.com/watch?v=6IrGibVoBME

até a próxima.

5 ideias sobre “Sessão Curta – Ilha das Flores

  1. PAULO  

    SOU MORADOR ANTIGO DO LOCAL…
    LEMBRO MUITO BEM… DE COMENTÁRIOS SOBRE A MESMA “”OBRA”
    ESSA CRIATURA, USOU UM DEPÓSITO DE LIXO,… SIM NA ILHA DOS MARINHEIROS…. PAGOU PARA ALGUMAS PESSOAS/ CRIANÇAS… USOU A IMAGEM DAS MESMAS…. PARA UM DOCUMENTÁRIO… O QUAL O MESMO.. DEU NOME DE ILHA DAS FLORES…
    RELATANDO / MONTANDO UMA SITUAÇÃO QUE NÃO HAVIA…. DEFAMANDO O LOCAL COM FATOS E MONTAGENS…. USANDO DA IMAGENS DE PESSOAS E CRIANÇAS… SEM SUA ALTORIZAÇÃO…

    ME ADIMIRA UMAS CRIATURAS AINDA PREMIAREM UMA MONTAGENS DESSAS…. E TEM PESSOAS QUE JUSTIFICAM “ESTA RELATANDO FATOS REAIS,… “”

    VE SE PODE….

    Responder
  2. cottonboy Autor do post 

    Em 2004, o Banco do Brasil pediu a sete cineastas para fazerem, cada um, um curta sobre temas determinados com o orçamento de 13milhões de reais.
    O Jorge Furtado ficou com o tema fraternidade… e ele fala sobre a Ilha dos Marinheiros (ou das flores) no filme

    se quiser assistir, está aqui:

    http://www.youtube.com/watch?v=q3kw0Z_rJbw

    Responder
  3. cottonboy Autor do post 

    É, eu sei, mas não temos como importar direto do Portacurtas pro UNINUNI, aí tenho q ficar catando n oyoutube curtas metragens. Já postamos outros que tem lá no portacurtas por aqui que foram pegos no youtube.

    Quanto ao fato de ter sido tudo mentira… se você perceber.. no incio aparece “Isso não é uma Obra de ficção”, e no final ele diz “tal coisa é, na verdade, tal coisa… todo o resto é verdade”… ele usou de um documentário experimental para retratar algo que acontece realmente, ainda que não na ilha das flores, mas basta ir a um lixão que encontra você exatamente aquilo… ou então basta vc assistir “Estamira”.

    O que remete a uma questão filosofica:

    “O que é a verdade? Ou a mentira?”

    :p

    Responder
  4. Phoinx  

    No Porta Curtas Petrobrás tem completo:
    http://www.portacurtas.com.br/Filme.asp?Cod=647
    É só clicar em “Assista” no menu à esquerda.

    Entretanto…:
    “(…) Além do fato de que “Ilha das Flores” não ter sido filmado na dita cuja, mas na “Ilha dos Marinheiros”, o cineasta pagou o entre R$ 5,00 a R$ 10,00 reais – mais refrigerantes – para os moradores “interpretarem” as cenas em que disputavam comida com os porcos. Eles nunca tiveram de se alimentar das sobras dos suínos. Os moradores só foram saber como foram retratados no filme muitos anos depois, pois nunca viram ou tiveram acesso à obra no cinema. Opiniões bastante fortes reclamando dos efeitos discriminatórios, e até de atração turística em que foram transformados por causa do tal filme, foram relatadas pelos moradores do local. Na matéria, Jorge Furtado apenas deu um habitual “sem comentários”. (…)”

    Leiam mais em:
    http://www.midiasemmascara.com.br/artigo.php?sid=3268

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *