Já me ocorreu de eu falar pra pessoas que estava indo encontrar amigos pra jogar RPG e logo me perguntaram, ah vocês vão numa Lan? Okay, não é bem assim, apesar de ser um jogo não é necessariamente eletrônico, mas não tem como as pessoas ouvirem falar tudo sobre o mundo todo, então antes que eu começasse a falar aqui sobre RPG de mesa, ou de tabuleiro vou precisar fazer uma introdução e dar uma breve explicação, a partir de hoje às quartas-feiras teremos a Nerdnesday, dia em que escreverei sobre um dos passatempos nerds mais difundidos atualmente.

Primeiramente o que é RPG e quais os estilos existentes?

Bom, hoje não irei me focar em “o que é RPG” e sim em “se eu gosto disso, pra qual ramo do RPG eu deveria seguir?”. Existem vários sistemas de regras e cenários lançados pra esse hobbie, mas todos eles servem pra jogar a mesma coisa, no entanto um estilo de jogo pode ser melhor abordado por um sistema de regras ou outro, dentre meus conhecidos e praticados existem, irei usar alguns filmes, desenhos e séries de TV conhecidos para ajudar na referência:

GURPS : De longe o mais completo sistema de regras que eu já vi, basicamente se você tiver um pouco de paciência pode-se jogar de tudo em gurps, variando em fantasia medieval (O Senhor dos Anéis, Conan, Nárnia), Ficção científica (Guerra nas estrelas, jornada nas estrelas, Alien, Predador, O Exterminador do Futuro…), Cyberpunk (Bladerunner, Aeon Flux, Minority Report, Matrix), Horror (Drácula de Bram Stoker, A Volta dos Mortos Vivos, Supernatural) e Outros, eu particularmente não sei como eu poderia limitar gurps de alguma forma, é facil de aprender se você souber absorver o relevante, mas complicado se você segue tudo à risca.

D20 System: Um sistema genérico criado pra tentar unificar os sistemas de regras e assim liberar a imaginação de escritores para criar apenas novas ambientações e histórias, basicamente um dos sistemas mais jogados no mundo atualmente, ele tem a mesma generalização do gurps, embora seja um pouco pobre no quesito de incentivo à interpretação, normalmente pode se tornar um jogo focado na estratégia se os jogadores esquecerem que estão jogando um jogo de interpretação. Suas ambientações variam semelhantemente ao GURPS, inclusive sendo o sistema adotado oficialmente para se jogar Star Wars.

Storyteller: Sistema criado para se focar histórias de horror, interpretação e/ou investigação, o mais rico em incentivo de interpretação, mas ainda assim focado em fantasia. Seu mundo normal de ambientação é o mundo das trevas, totalmente semelhante ao nosso mundo em época e história, mas tendo a existência de não só pessoas normais, como também vampiros (Semelhante aos dos livros de Anne Rice, Entrevista com o vampiro), lobisomens (semelhantes aos de Um lobisomem americano em Londres) , magos (Pessoas normais que conseguem manipular a realidade, lembra os despertos de matrix DENTRO da matrix) e caçadores (pessoas extraordinárias que caçam as criaturas que habitam o mundo das trevas, semelhante às da série Supernatural).

Daemon: Sistema genérico muito semelhante ao D20, é nacional e portanto mais acessível e simples de se aprender. Suas ambientações assim como o GURPS e D20 são praticamente infinitas.

Defensores de Tóquio (3D&T): Outro sistema genérico nacional, mas que tem maior facilidade de adaptação dos heróis de animes, séries japonesas e qualquer outra forma de super-herói, também é favorito na adaptação de jogos de vídeo-game e computador.

Dados usados em alguns RPGs

Veja também:

Caverna do Dragão (Dungeons & Dragons), Desenho baseado no jogo Dungeons & Dragons tão baseada que o título em inglês é o mesmo do jogo.

Dungeons & Dragons: A Aventura Começa (Dungeons & Dragons), nada a ver com o desenho caverna do dragão, apesar do nome do filme ser o mesmo nome do desenho.

Kindred: The Embraced : Série de TV baseada no mundo das trevas, mais específicamente focado na existência dos vampiros.

Anjos da Noite / Anjos da Noite 2: Quase foi processado pela empresa responsável pelo mundo das trevas pela extrema semelhança das ambientações, mas leves diferenças permitiram o lançamento. É um bom ponto de referência para essa ambientação.

Matrix: Pode dar uma idéia do mundo das trevas quanto às idéias do mundo não ser o que parece e que as pessoas podem manipular a liberdade contanto que vejam a verdade. “Não entorte a colher, apenas veja que não há colher”

Entrevista com o Vampiro: Outra dica de filme para entender como seria uma história de horror com personagens vampiros, onde o protagonista cada vez mais percebe que está sozinho, por mais que tenha alguém.

Supernatural: Série de caçadores de demônios e criaturas sobrenaturais pode dar o clímax da história de horror onde você pode não apenas ser o Caçador, mas também pode ser a Presa, ou citando um suplemento de regras de mesmo nome, sobre “Caçadores Caçados”.

Vou parando por aqui antes que a lista fique grande demais, da mesma forma alerto, as sugestões são extremamente tendenciosas refletindo meu próprio estilo de jogo.

Bom, por enquanto é isso, até a próxima Nerdnesday.