1233422658116_f

Sabe o que sempre me incomodou no Brasil? A idéia de que “se é nacional não é bom!”

O Brasil só tem direito a exportar futebol e petróleo, são as únicas coisas que o Brasil tem que presta. O que eu acho triste.

Ai leio no jornal que morreu João Gurgel, o empresário que tentou construir uma marca de carros 100% brasileira e foi a falencia exatamente pela politica economica do Brasil.

Queria eu que o Brasil tivesse um pequeno impeto nacionalista que os militares da ditadura tinham (a unica coisa que achava valida na ditadura era o impeto nacionalista, visto que se não houvessem eles este ímpeto, não haveriam criado a tecnologia do alcool da cana de acucar, já que o Brasil, um paí soberano, não poderia ficar refem do pretróleo estrangeiro, e hoje eh carro chefe em combustivel limpo e renovável…)

Mas não, brasileiro continua com complexo de vira-lata, penalty e topper são ruins, nike e addidas é bom…

Resultado desses anos e anos de marcas nacionais a revelia do Governo federal? Hoje são poucas as marcas brasileiras que podem concorrer no mercado mundial.

É triste para mim, como alguem que gosta do Brasil, ver que o importante está lá fora. Que visionários como o Sr. Gurgel tem que brigar contra o próprio país para ter seu lugar ao sol. (afinal, a Gurgel foi pro buraco quando quando o presidente Fernando Collor baixou o imposto para motores de 1.000 cm³ de cilindrada, usados nos carros importados enquantos os de 800 cm³ do senhor Gurgel continuavam com impostos altos).

Odeio a apatia brasileira e as vezes sinto vontade de ir embora, não por causa do Brasil, mas por causa do brasileiro.

não àtoa existe um ditado que diz: Deus criou uma bela terra chamada Brasil e deu a ela um grande defeito, o brasileiro.

Mas voltando ao assunto Gurgel, vagando pela net achei esse documentario feito por alunos daUSP sobre a marca Gurgel e acho que todo brasileiro que se preza deveria assisti-lo e refletir um pouco sobre a nossa sociedade taxativa e que faz questão de ficar refém dos outros que fazem.

Parte 1

Parte 2

Parte 3

Parte 4

Parte 5

Parte 6

Até a próxima.