Categoria Social

TEORIA DAS JANELAS PARTIDAS


Em 1969, na Universidade de Stanford (EUA), o Prof. Phillip Zimbardo realizou uma experiência de psicologia social. Deixou duas viaturas abandonadas na via pública, duas viaturas idênticas, da mesma marca, modelo e até cor. Uma deixou em Bronx, na altura uma zona pobre e conflituosa de Nova York e a outra em Palo Alto, uma zona rica e tranquila da Califórnia.
Duas viaturas idênticas abandonadas, dois bairros com populações muito diferentes e uma equipe de especialistas em psicologia social estudando as condutas das pessoas em cada local.

Resultou que a viatura abandonada em Bronx começou a ser vandalizada em poucas horas. Perdeu as rodas, o motor, os espelhos, o rádio, etc. Levaram tudo o que fosse aproveitável e aquilo que não puderam levar, destruíram. Contrariamente, a viatura abandonada em Palo Alto manteve-se intacta.

É comum atribuir à pobreza as causas de delito.
Atribuição em que coincidem as posições ideológicas mais conservadoras, (da direita e da esquerda). Contudo, a experiência em questão não terminou aí. Quando a viatura abandonada em Bronx já estava desfeita e a de Palo Alto estava há uma semana impecável, os investigadores partiram um vidro do automóvel de Palo Alto.

O resultado foi que se desencadeou o mesmo processo que o de Bronx, e o roubo, a violência e o vandalismo reduziram o veículo ao mesmo estado que o do bairro pobre.
Por quê que o vidro partido na viatura abandonada num bairro supostamente seguro, é capaz de disparar todo um processo delituoso?
Não se trata de pobreza. Evidentemente é algo que tem que ver com a psicologia humana e com as relações sociais.

Um vidro partido numa viatura abandonada transmite uma ideia de deterioração, de desinteresse, de despreocupação que vai quebrar os códigos de convivência, como de ausência de lei, de normas, de regras, como o “vale tudo”. Cada novo ataque que a viatura sofre reafirma e multiplica essa ideia, até que a escalada de atos cada vez piores, se torna incontrolável, desembocando numa violência irracional.

Em experiências posteriores (James Q. Wilson e George Kelling), desenvolveram a ‘Teoria das Janelas Partidas’, a mesma que de um ponto de vista criminalístico conclui que o delito é maior nas zonas onde o descuido, a sujeira, a desordem e o maltrato são maiores.
Se se parte um vidro de uma janela de um edifício e ninguém o repara, muito rapidamente estarão partidos todos os demais. Se uma comunidade exibe sinais de deterioração e isto parece não importar a ninguém, então ali se gerará o delito.

Se se cometem ‘pequenas faltas’ (estacionar em lugar proibido, exceder o limite de velocidade ou passar-se um semáforo vermelho) e as mesmas não são sancionadas, então começam as faltas maiores e logo delitos cada vez mais graves. Se se permitem atitudes violentas como algo normal no desenvolvimento das crianças, o padrão de desenvolvimento será de maior violência quando estas pessoas forem adultas.

Se os parques e outros espaços públicos deteriorados são progressivamente abandonados pela maioria das pessoas (que deixa de sair das suas casas por temor a criminalidade) , estes mesmos espaços abandonados pelas pessoas são progressivamente ocupados pelos delinquentes.

A Teoria das Janelas Partidas foi aplicada pela primeira vez em meados da década de 80 no metrô de Nova York, o qual se havia convertido no ponto mais perigoso da cidade. Começou-se por combater as pequenas transgressões: graffitis deteriorando o lugar, sujeira das estacões, alcoolismo entre o público, evasões ao pagamento de passagem, pequenos roubos e desordens. Os resultados foram evidentes. Começando pelo pequeno conseguiu-se fazer do metrô um lugar seguro.

Posteriormente, em 1994, Rudolph Giuliani, prefeito de Nova York, baseado na Teoria das Janelas Partidas e na experiência do metrô, impulsionou uma política de ‘Tolerância Zero’.
A estratégia consistia em criar comunidades limpas e ordenadas, não permitindo transgressões à Lei e às normas de convivência urbana. O resultado prático foi uma enorme redução de todos os índices criminais da cidade de Nova York.

A expressão ‘Tolerância Zero’ soa a uma espécie de solução autoritária e repressiva, mas o seu conceito principal é muito mais a prevenção e promoção de condições sociais de segurança. Não se trata de linchar o delinquente, nem da prepotência da polícia, de fato, a respeito dos abusos de autoridade deve também aplicar-se a tolerância zero.

Não é tolerância zero em relação à pessoa que comete o delito, mas tolerância zero em relação ao próprio delito. Trata-se de criar comunidades limpas, ordenadas, respeitosas da lei e dos códigos básicos da convivência social humana.

Essa é uma teoria interessante e pode ser comprovada em nossa vida diária, seja
em nosso bairro, na vila ou condominio onde vivemos, não só em cidades grandes.
A tolerância zero colocou Nova York na lista das cidades seguras.

Esta teoria pode também explicar o que acontece aqui no Brasil com corrupção, impunidade, amoralidade, criminalidade, vandalismo, etc.
Pense nisso!

(Via Edith Agnes Schultz)

Banksy on advertising


People are taking the piss out of you everyday. They butt into your life, take a cheap shot at you and then disappear. They leer at you from tall buildings and make you feel small. They make flippant comments from buses that imply you’re not sexy enough and that all the fun is happening somewhere else. They are on TV making your girlfriend feel inadequate. They have access to the most sophisticated technology the world has ever seen and they bully you with it. They are The Advertisers and they are laughing at you.

You, however, are forbidden to touch them. Trademarks, intellectual property rights and copyright law mean advertisers can say what they like wherever they like with total impunity.

Fuck that. Any advert in a public space that gives you no choice whether you see it or not is yours. It’s yours to take, re-arrange and re-use. You can do whatever you like with it. Asking for permission is like asking to keep a rock someone just threw at your head.

You owe the companies nothing. Less than nothing, you especially don’t owe them any courtesy. They owe you. They have re-arranged the world to put themselves in front of you. They never asked for your permission, don’t even start asking for theirs.

– Banksy

Mais frases dele aqui.

Ateus em POA e Salvador


É uma campanha ateísta que já passou por cidades como Londres, Barcelona, Vaticano e que teve a contribuição inclusive de Richard Dawkins. O slogan nas cidades foram “There’s probably no God. Now stop worrying and enjoy your life”em Londres, “Probablemente Dios no existe. Deja de preocuparte y disfruta la vida” em Barcelona e “La cattiva notizia é che Dio non esiste. Quella buona, é che non ne hai bisogno.” no Vaticano.

A tradução das duas primeiras frases é algo como “Provavelmente Deus não existe. Então pare de se preocupar e aproveite a vida.”, já a terceira seria “A má notícia é que Deus não existe. A boa é que você não precisa dele”.

Aqui no Brasil a campanha vai acontecer em Salvador e Porto Alegre. O mote da campanha é o slogan “Diga não ao preconceito contra ateus”. Segundo a wikipedia de acordo com dados do IBGE, 7,4% (cerca de 12,5 milhões) da população Brasileira declaram-se sem religião, podendo ser agnósticos, ateus ou deístas.

O objetivo da campanha não é fazer desconversões em massa, mas conseguir um espaço na sociedade e diminuir o preconceito que existe contra ateus.

Rio 2016


As Olimpíadas de 2016 serão aqui no Brasil, serão no Rio de Janeiro e eu ainda não consegui me decidir se isso será algo bom ou não. A princípio eu penso que o melhor seria usar esse dinheiro todo para melhorar coisas básicas que se fazem necessárias como saúde, educação e segurança. Por outro lado as Olímpiadas não é apenas algo passageiro que irá roubar nosso dinheiro, o que será construído para ela irá permanecer e poderá ajudar a melhorar o incentivo ao esporte que também nunca foi muito alto. Com a vinda de milhares de pessoas para as Olímpiadas é possível que o Brasil passe a figurar entre os locais onde as pessoas pensam em passar as férias e gastar seu dinheiro, afinal é ridículo que com tantas belezas naturais nós não estejamos entre os 30 países mais visitados do mundo (wiki).

Como já está decidido que as Olimpíadas irão acontecer aqui, só nos resta torcer pelo melhor =)

Vídeo muito bonito para divulgar o Rio como cidade candidata (Comitê Rio 2016)

Discurso do Lula para o COI (Comitê Olímpico Internacional) – Olimpíadas Rio 2016

Pesquisadores Calculam a chance da civilização sobreviver à um ataque zumbi


As criaturas mortas-vivas assombram o imaginário da humanidade há gerações, mas você já se perguntou o que aconteceria conosco se fôssemos atacados por zumbis?

Não? Pois um grupo de pesquisadores canadenses não só pensou, como elaborou uma fórmula matemática para isso.

zombies_Full

O estudo foi publicado em um livro (Infectious Diseases Modelling Research Progress, da Nova Science Publishers), e é assinado por Philip Munz, Ioan Hudea, Joe Imad e Robert J. Smith?(o ponto de interrogação faz parte do nome dele). Nele, os cientistas da Carleton University eUniversidade de Ottawa analisam as chances dos seres humanos na luta contra as criaturas da noite e concluem: somente uma resposta rápida e agressiva poderia nos salvar da dominação total dos zumbis!

Se você chegou até aqui, saiba que esse texto não é uma pegadinha de “primeiro de abril” atrasada. Apesar do bom-humor dos cientistas, trata-se, na verdade, de um estudo matemático para provar que os números são capazes de prever os mais diversos cenários. Os autores sugerem, inclusive, que a análise pode ajudar a prever a disseminação de doenças infecto-contagiosas reais.

O modelo dos zumbis, no entanto, não considera taxas de natalidade e mortalidade, pois supõe que um ataque desse tipo seria rápido, em curto espaço de tempo. Encontrar uma cura para a “zumbizeira” também não ajudaria a humanidade, pois faria com que, no máximo, humanos e zumbis coexistissem (o que não deveria durar muito). Sendo assim, somente seria possível nos livrarmos das criaturas malignas com uma solução drástica: matando-as, todas.

Se você ficou preocupado, calma: os pesquisadores também descrevem as duas únicas maneiras, segundo a crença popular e a cultura pop, capazes de matá-los: cortando a cabeça ou destruindo o cérebro. Anotou?

zombies_01

Livro infantil alemão


Na minha faculdade foi aberta uma vasta discussão quando foi instituido que a TV deveria por “classificação etária” dos programas que ela iria exibir. Uns defendiam, outros discordavam, uns não tinham idéia formada e outros cagavam e andavam só queriam receber a presença e ir embora pra casa (três vivas pra o curso de publicidade).

Eu era do grupo dos que cagavam e andavam. Mas não por ser um aluno relapso… mas por achar que era uma discussão inútil. A tv no Brasil tem problemas muitos mais sérios, ao meu ver, que uma simples classificação etária.

Por exemplo, eu acho completamente insano achar um absurdo passar uma cena de sexo na sessão da tarde, por exemplo, enquanto programas vespertinos mostram gente morta, violência, polícia torcando tiro com a polícia, menina sendo jogada de janela, menino sendo arrastado pelo cinto de segurança do carro, adolescente morta por namorado e amiga baleada na cara…

Quer dizer que uma manifestação de amor entre dois seres da mesma raça é algo repugnante. Mas tiro na cabeça é algo aceitavel?

Sei… a indústria do medo que o diga.

Aí eu recebo um e-mail mostrando como é um livro infantil alemão. Sintam a completa diferença:

[a.jpg]

[image0024-799590.jpg]

[c.jpg]

[d.jpg]

[e.jpg]

[f.jpg]

[g.jpg]

agora eu pergunto: Há algo de errado em informar as crianças de como de fato a biologia age sobre os seres humanos? É errado falar de como duas pessoas juntas podem se unir para dar origem a uma vida sem ter que recorrer a mentiras como “cegonhas”, “plantações de alface” e etc?

Eu particularmente acho que não.

As crianças são subestimadas e muitos acham que elas “não entenderiam” como isso funciona. Bem, talvez elas não compreendam por completo, obivo, porém elas tem total capacidade de discernimento para compreender o processo e entenderem melhor como é a raça humana.

Nossa culpa católica nos impede de falar abertamente de sexo. Ter dinheiro causa dor na conciencia, sentir desejos sexuais é pecaminoso. Sei…

Podemos então continuar nossa bolha ilusória e deixar que padres ensinem como é um ato sexual as crianças do que parar um minuto para explicar de fato e abrir um dialogo com o filho.

Mas eu esqueci como as coisas funcionam. Os filhos não fazem sexo (só depois do casamento) e os pais… esses deixam de fazer sexo depois que os filhos nascem. Minha mãe é virgem ate hoje… eu garanto.

Três vivas à hipocrisia… acho que me mudarei pra Alemanha.

Até a próxima.

Chico Buarque fala sobre racismo.


Isso é tudo o que eu pensei sobre racismo no Brasil. Mas o Chico sabe explicar bem melhor que eu.

Agora que tem negro presidente, campeão de formula 1 etc etc etc… capaz de entrar na “moda” ser negro e ficarem orgulhosos disso…

até que a moda passe.

Três vivas à hipocrisia.

até a próxima.

A humanidade é super valorizada


Provavelmente em algum ponto da vida qualquer pessoa em sã consciência deve ter chegado à mesma conclusão que eu: “A porra da humanidade está super valorizada”.
Nós seres humanos somos um estorvo, parasitas super potentes que supostamente evoluíram com o tempo, nós somos baratas de duas pernas.

Nenhum animal da face da terra caga onde come, aliás, um, nós.

Nesse caso eu não digo literalmente cagar onde come, seria mais como “cuspir no prato em que come”, nossos queridos antepassados lutaram e batalharam por direitos místicos e fenomenais para a nossa geração literalmente fuder com tudo.

Por um lado temos o povo, o GADO, alimentado  à ração de arroz e feijão, servos de um sistema público ridículo que se dá a liberdade de fazer o que bem entende sem medo algum de sofrer represálias.

No outro extremo temos os SENHORES DO GADO, vulgarmente conhecidos como ricos, que estão pouco se fudendo pra qualquer coisa por que eles se dão ao luxo.

E na “meiuca”, temos a classe média e os jovens do novo milênio, pessoas que supostamente deveriam levar a nossa sociedade a tão esperada salvação.

Neste texto, vou me focar ao meu meio, tentando não ser hipócrita o que é deveras difícil nesse caso.

Nós, vermes, sociedade em geral, não valemos nada, VOCÊ não vale nada, o vizinho NÃO VALE NADA, e por incrível que pareça, seu pastor/padre/mãe de santo/chefe de centro espírita TAMBÉM não vale nada.

Fomos todos doutrinados pela mídia e pelo governo e por uma gama gigantesca de fatores a sermos absolutamente nada.

O mundo não é o que me prometeram, eu deveria ser estrela de cinema, ou astronauta, não era isso que o anuncio dizia? “Você pode ser o que você sonhar”.

Sei, somos uma geração de pedreiros, garçonetes, eletricistas e toda outra gama de subempregos.

O que se pode esperar de uma geração sem limites, sem regras e principalmente sem educação?

“Ah, mas existe luta social” diz o garotinho lá do fundo…

De fato, existe, mal direcionada, mal embasada, mal exemplificada, nossos revolucionàrios atuais ganham a vida parasitando nas faculdades, galgando postos de DCE em DCE para evoluir para partidos, e futuramente chegar a vereadores, prefeitos, governadores e presidentes.

Sinceramente, você, pense um pouco, votaria em uma pessoa que passou parasitando a vida INTEIRA? Ele deve liderar o resto todo de parasitas que formam o nosso pais?

“Ahhh, o cara não é um parasita, ele é um ativista polí ticolí9ticoue são tão uteis quanto fisicos teoricos, que não descobrem nada que preste desde de 1800 e lá vai pedrada.

Mas é assim mesmo, vamos levando, na TV a mulher diz que devemos acreditar em politicos, que a policia não é nossa inimiga, que tudo vai dar certo.

E assim vamos nós, desgovernados em um onibus lotado até o talo, todos cochichando sobre os problemas sem realmente reclamar.

Chegamos em casa e nos damos ao luxo de abrir uma cerveja e refletir sobre a vida, absorvidos pela Ana Maria Braga que provavelmente estará falando qualquer merda sobre a ultima tragédia que se deu e fez sucesso na mídia, seja lá a guria que tomou um tiro ou o guri que foi arrastado pelo carro que os bandidos roubaram.

Depois disso entraremos todos em comoção, iremos em massa, literalmente apreciar a desgraça alheia e dar graças e deus que não foi conosco. Se pergutarem, somos amigos da vitima, “SOMOS VITIMAS também, ei, nos deem atenção, estamos suplicando.”

Passado o choro, a vela e fita amarela, vamos ouvir nosso pastor, que vai dizer que devemos perdoar todo tipo de merda que jogam em cima da gente. Obviamente sem esquecer os 10% da igreja é claro, o resto é resto.

Mas no final das contas, se você não gostou, você pode se trancar em casa, aumentar o som do seu stereo fodastico que você ainda tem que pagar 912831902381 de prestações para realmente ser seu, com o seu CD pirata comprado na esquina  que foi “uma pechincha” e esquecer de todo o resto.

“QUE SE FODA TUDO ISSO!” digo eu e botarei meu fone de playboy comprado no camelô, abrirei meu programa de baixar músicas piratas e vou escutar “Geração Coca-Cola” do Legião Urbana.

Tomarei outro gole dessa vodka barata, afinal, “Se uma mente pensante como a minha não encher a cara, acaba se matando” como diria uma querida amiga minha.

AHOY, vamos todos correr em direção a luz, de mão dadas é claro, esperando o super Jesus, chegar voando em um colante branco com capa e tudo para nos mostrar a salvação.

Nota mental: Fodam-se todos vocês

Uso de Algemas


Ontem foi um dia interessante para a justiça brasileira, afinal ontem foi aprovada a súmula vinculante do STF que limita a utilização de algemas pelos policiais. Um grande avanço para o país, não é? Sim, realmente é, mas vejamos o que levou a essa aprovação tão rápida dessa súmula vinculante..ah, sim o escândalo onde vários poderosos do país foram algemados e levados para a delegacia. Isso sim virou notícia, não é? E as pessoas mais carentes que só pelo fato de serem suspeitas de algum ato ilícito logo são algemadas sem reclamar e se reclamaram levam uma pequena surra dos policiais? Bem, pelo jeito não era importante, afinal eles não tinham dinheiro para aparecer na mídia e causar tanto desconforto assim para o Governo.

Enfim, o uso das algemas já tinha que ter sido regulado há mais de 20 anos, pois lembremos que a Lei de Execução Penal é de 1984! Isso mesmo faça as contas..24 anos! E está bem explícito no artigo 199 da citada lei:

“Art. 199 – O emprego de algemas será disciplinado por decreto federal.”

Então, se isso já estava a tanto tempo disciplinado qual foi a razão da demora para que esse decreto demorasse tanto para ser publicado? Em minha opinião, o motivo foi que não estava doendo no bolso de ninguém, afinal era sempre os menos favorecidos que eram injustamente algemados, humilhados na frente de vizinhos e amigos, logo não tinha motivo para que eles se preocupassem de imediato com essa necessidade de regulamentar, de seguir o que realmente tem na formalidade.

Enfim, essa súmula foi aprovada e agora a algema só poderá ser usada:

1 – em casos de suspeita de fuga; ou

2 – de perigo à integridade física do próprio preso ou de terceiros;

E agora leiam a melhor parte dessa súmula:

“e a autoridade policial terá que justificar por escrito o uso do instrumento”.

Limitando o poder policial? Isso é uma boa notícia, pois mostra que eles não são deuses como muitos se acham e esquecem sua verdadeira obrigação. Enfim, apenas para manter os leitores do uninuni informados sobre as novidades nas leis de nosso país, pois é tanta coisa que muda diariamente que se não nos atualizarmos ficaremos para trás, não é? Até a próxima!

Olimpíadas X Brasil


As Olimpíadas começaram e com elas o que mais acontece? Bem, eu vou explicar rapidamente o que acontece sempre que algum evento esportivo que envolva o Brasil existe: o completo esquecimento de qualquer problema social! Isso mesmo, a partir de agora tudo será esquecido juntamente com os dramas que o país tem que enfrentar e colocados em segundo plano, pois o que importa atualmente é se o país vai conseguir medalha no hipismo, na ginástica rítmica e será que Dayane dos Santos vai conseguir fazer sua rotina? Será que ela vai fazer seu salto sem cair?

Essas serão as preocupações dos brasileiros enquanto as Olimpíadas estiverem acontecendo. Não estou dizendo que é errado termos o lazer, de forma alguma, eu acho muito certo e extremamente válido a existência de um lazer, mas usar ele para simplesmente esquecer tudo o que tem acontecido? Isso é completamente e a absolutamente inaceitável! Vamos cair na real, quantos problemas com o tráfico o Brasil tem tido ultimamente? Muitos! Quantas mortes aconteceram no país? Um número considerável. Quantas pessoas estão passando fome e não sabem como irão sobreviver até o fim do mês? Nem vamos começar a fazer as contas! E com todos esses problemas o que é que está na mente do brasileiro? Se Ronaldinho Gaúcho fará muitos gols e se o Brasil trará o ouro dessas Olimpíadas.

Grandes preocupações, não acham? Esse é um dos motivos que faz o Brasil não ir para frente, afinal uma população com uma memória tão curta como a nossa, que se distrai com uma competição esportiva e acha que os problemas do país são menores apenas porque eles têm que assistir a um jogo de volleyball ou de futebol não poderá nunca evoluir. E é com um enorme pesar que eu falo isso, com um enorme pesar que admito que o Brasil fecha os olhos para muita coisa devido à competições esportivas.

Desse jeito, só posso pensar e pedir que aconteça alguma coisa que faça com que os brasileiros enxerguem a realidade, mesmo que seja o fato do Ronaldinho Gaúcho fazer um gol e dedicar para os meninos carentes que vivem em alguma favela. Bem, só nos resta esperar!