Categoria Games

Jogo Online : Giant Robot


Buenas, existem trilhões de jogos online de flash mundo afora, para todos os gostos, de todos os tipos, a lista é praticamente infinita, mas não é todo dia que aparece um jogo brasuca, e mais raro ainda é um jogo brasuca BOM!

Normalmente eu não perco meu tempo fazendo um review de jogos em flash, para falar a verdade a muito tempo não faço review de porra nenhuma, nem filme, mas acredito que esse jogo mereça atenção, afinal é prata da casa.

De cara a gente já vê umas ilustrações bem legais, com o plot e tal, salvar a terra dos marcianos construindo um robô gigante.

Basicamente é um jogo de quebra cabeças, você arrasta as peças do robô e encaixa elas, o problema é que você tem que girar o cursor para a peça mudar de direção, nas primeiras fases é barbada, quando cheguei na metade do jogo meu braço já tava doendo e eu girando o mouse feito um louco aqui.

Enfim, um bom jogo para passar o tempo.

CLIQUE AQUI OU NA IMAGEM PARA JOGAR!

robogigante

Vários jogos ao mesmo tempo


Você acha que consegue jogar vários jogos de uma só vez?

Acha que só porque eles são simples então deve ser fácil?

Então veja se você tem mesmo coordenação.

Você começa a jogar com apenas 1 jogo e depois de algum tempo entra o segundo, depois o terceiro, o quarto, e então a velocidade aumenta e você fica louco…

Tente jogar sem a ajuda de ninguém =)

Multitask

D&D + Detetive = Coronel Mostarda na cozinha com a espada vorpal


Cara, tava navegando no Melhores do Mundo dando uma olhada nas notícias de comics e achei isso, genial, uma mistura de Dungeons and Dragons e Detetive. Para quem não sabe, Dungeons and Dragon é atualmente o RPG mais jogado do mundo, você pode saber um pouco mais sobre RPG AQUI nesse post do Malkav. E Detetive é um classico dos brinquedos dos anos 80, consiste basicamente em você através de pistas descobrir quem cometeu o assassinato, aonde e com o que.

Uma mistura disso sai isso daqui ó:

De vez em quando a galera do UniNuni ainda perde pro Puck no detetive.

Zebbo o video game brasuca


Nesta quarta-feira, a empresa brasileira Tectoy anuncio o lançamento do video game Zebbo, que será lançado no primeiro trimestre de 2009. O diretor presidente da Tec Toy, Fernando Fischer disse que o video game será voltado para classe média. O preço do video game divulgado ontem é de R$ 500, e seus jogos dependendo se é lançamento ou não ficaram em torno de $30 ou $20.

Zebbo não ultilizara DVD e nem Cartuchos para seus jogos, eles serão armazenados dentro do console, e também terá uma parceria com a Claro que vai disponibilizar a rede 3g, para downloads de jogos, e o melhor é que o usúario não pagará nada por isso. Aqui no Brasil, o Zeebo será lançado com seis jogos instalados –dois jogos da Eletronic Arts (corrida e futebol), Action Hero 3D, Treino Cerebral, Prey Evil e Quake, todos em português. Segundo a Tectoy os gráficos do jogo serão bem proximos ao do Ps 2.

Chupado DAQUI

O que eu acho? Acho que vai dar merda capitão, primeiro de tudo, nada é antipirataria, aposto que 1 mês no mercado e já vai ter camelô prometendo gravar 1892310923890213 de jogos na HD da parada.

Segundo que, bem, download? Aqui no brasil?Estou até vendo a criança chega toda feliz que comprou o cartão pra pegar o jogo, liga o game, começa a navegar, escolhe e fica lá, olhando a barrinha de downloads, ai lá pelos 80% a conexão cai, dá pau na hora de resumir, liga para a central de atendimento, eles pedem para reiniciar tudo e ver se o modem está conectado direito, caso não der certo retornar a ligar, depois de fazer esse processo umas 40 vezes a criança nunca mais vai querer ver o video game na vida.

Além do mais, pirataria seria um fator importantissimo para mim na hora de escolher um video game, eu NUNCA, NUNCA MESMO compraria um console que não tem ou que é muito dificil piratear algo.

Agora pensem comigo, por que você compraria esse console, que custa R$500 conto podendo comprar um Playstation 2, com 2 controles, 10 jogos, memory card e uma bolsa para carregar por R$499, podendo ser parcelado e com frete gratis?Duvida? Clique aqui se interessou.

Lembrando que o PS2 também roda jogos de PS1, é mole, e os cara acham que vai fazer o maior sucesso.

Nerdnesday: O Sonho não acabou!


Ta cheio de turbulências o mundo do RPG desde que a WotC decidiu lançar o novo D&D
É fato, que a Wizards of the Coast dispensou o antigo sistema D20 pra criar um novo Dungeons & Dragons, simplesmente descartando tudo e criando um novo jogo completamente do zero. Bom, para os fãs da edição anterior que não gostaram muito da idéia de ter seu jogo favorito transformado em uma batalha de Sayajins a Editora Paizo lançou Pathfinder, um jogo baseado no sistema D20 3.X, além disso o Pathfinder foi feito para manter compatibilidade com seus suplementos anteriores, ou seja, seus livros não devem simplesmente virar relíquias, sendo sempre importantes. Outro lado bom? Bem, a versão em PDF é gratuita, mas a versão impressa tem toda aquela presença e eh bonitona. Para os que querem adotar a 4ª edição e ainda assim usar suplementos eles pretendem ter conversões que poderão ser baixadas.
Mas o que mudou? Bem, quem joga a edição anterior do d&d podia citar que existiam perícias que deveriam ser usadas em conjunto, existiam classes que eram muito mais poderosas se comparadas a outras, ocorreram algumas mudanças estéticas também, todas as ilustrações são bem feitas com traços de desenho Mangá

Algumas imagens do livro

A BárbaraO Mago E um Grupo de Aventureiros de frente pra um portal

Nerdnesday – O retorno dos que não foram…


Faltou meu textinho nerd quarta-feira passada, mas aqui estou eu de volta com as novidades do mundo do RPG desta semana:

1 – Editora Daemon atingiu a marca dos 500 Netbooks Gratuitos!

Após liberar seu sistema para publicação livre assim como o sistema D20 o sistema Daemon ganhou muitos livros criados por diversos autores e podem ser encontrados no próprio site da empresa, esses livros completam muitos cenários de campanha possíveis podendo ir para qualquer ambientação que eu citei em meus primeiros posts. Netbooks Daemon

2 – Campanha Viva, Forgotten Realms!

Primeiro, o que é uma campanha viva? Bem, imagine o seguinte, esse Forgotten Realms é um cenário de campanha que envolve todo um continente em um mundo de fantasia, agora imagine que cada região do nosso mundo é responsável por aventuras em determinadas regiões deste mundo de fantasia, neste caso, o mundo de Toril, então os mestres filiados nessa campanha viva global da America Latina é responsável pela região do Portal de Baldur (Baldur’s Gate no original), a Wizards of the Coast deve lançar a campanha viva agora em agosto de 2008 na GenCon, já foi lançado um guia de construção de personagens e no dia INTERNACIONAL do D&D será narrada uma campanha mundial simultânea, lembrando que apenas Mestres cadastrados e com um determinado prestígio podem solicitá-las para narrar no evento, mas sendo você um morador de São Paulo, recomendo ir participar do evento na Devir, dia 30 de Agosto.

3 – Lançados Livros Virtuais do novo D&D 4ª edição para venda na internet

Um grande golpe de publicidade, a Wizards of the Coast (Vou começar a chamar apenas de WotC) passou a vender as versões virtuais de seus novos livros em uma livraria online, claro que não é o mesmo feeling de ter o livro físico para folhear em qualquer local, mas já é mais barato que a versão física para compensar isso. Ainda não fiz uma resenha sobre o novo D&D 4ª edição mas já adianto que não gostei muito do novo sistema, fazendo com que o jogo ganhasse o belo apelido Dungeons & Dragon Balls, só faltam os saiyajins porque os poderes cósmicos e apelões já estão todos lá, aguardem resenha em breve depois do meu playtest. Livros D&D 4ª edição

4 – Relançamento do 3D&T

O pequeno RPG que fez sucesso em ambientações de poder relativamente absurdo e desproporcional ganhará uma nova versão, com algumas alterações, mais informações no site da Jambô editora. Particularmente nunca gostei muito do 3d&t, mas definitivamente é o sistema de regras mais fácil de se aprender que já vi, tão simples que à medida que você se aprofunda e procura novas bases acaba achando-o meio nojento e incompleto, mas ainda assim faz muito sucesso e consegue ser muito simples, descontraído e rápido.

Nerdnesday: Jogadores apelões… uma praga?


Quem já jogou qualquer tipo de RPG sabe do que eu to falando, no RPG de mesa nós chamamos eles de Advogados de Regras, ou chulamente de Jogadores Apelões, enquanto que nos RPG online são conhecido como Power Players, baseado no estilo de jogo deles em que poder pessoal é mais importante que qualquer coisa, entrando em conflito com uma das maiores diversões, em minha opinião claro, que é a de interpretar seu personagem e agir de acordo, ou no caso de RPG online criar seu personagem de acordo com a linha mais agradável para o jogador. Mas após algumas fuçadas nos fórums de discussão da Wizards, (empresa dona dos direitos de Dungeons & Dragons) os jogadores apelões são uma extrema maioria, mas e como fazer que eles atrapalhem a nossa diversão na mesa? Ou melhor, como eles podem atrapalhar a diversão na mesa? Bom, outro dia um amigo me comentou de gafes do grupo dele que aparentemente sofre desse problema de excesso de personagens apelões, um dos jogadores jogava com um Druida, pra quem não é familiar eles são o equivalente aos padres dos cultos que adoram a natureza como força criadora e regente do universo, e seu grupo após uma longa viagem acaba entrando num deserto, infelizmente os cavalos não poderiam seguir viagem por ali pois estavam muito cansados e o grupo precisava chegar rápido ao destino deles, eis que a sugestão do druida é “Ah, deixa eles aí e vamos continuar.” DEIXA-LOS NO DESERTO!!!! Será que é muito mais divertido apenas usar suas profissões para ganhar as habilidades dadas pela trilha de aprendizado de cada uma, sem cumprir nenhuma obrigação que vem junto com o pacote? Como um sacerdote da natureza vai continuar recebendo poderes dela se ele destrata todos os seus filhos? Então vai uma sugestão aos mestres que estão lendo isso aqui, nunca esqueça de analisar o comportamento dos personagens, por mais que o jogador apelão queira combinar o máximo de habilidades possíveis através de brechas nas regras do jogo lembre-se que sempre quem dita a regra final é você mestre do jogo, afinal é você quem narra os possíveis acontecimentos do seu mundo. Por mais que seja possível um personagem conseguir através dos meios de regras eu acho extremamente difícil concordar com a construção de um personagem Bárbaro / Mago, afinal um é a antítese do outro, um bárbaro é nada mais que um ser que cresceu em um meio selvagem e normalmente é ignorante, enquanto que um Mago é alguém que através de muito estudo e dedicação conseguiu dominar o extremo do conhecimento do mundo de fantasia, que é o domínio das magias que podem de certa forma alterar a realidade e criar coisas anti-naturais. Por mais que a liberdade seja algo bom num RPG sempre lembre que assim como na vida, o fim justifica os meios e vice-versa. Então eu digo por experiência, jogadores apelões sempre podem ser podados.

Não se preocupe se seu jogador tem uma coleção dessas, apenas use o bom senso

Nerdnesday: A diversão, o fim e o medo…


Já me perguntaram várias vezes a graça de jogar RPG, sendo esse um jogo “sem fim”, é eu digo sem fim entre aspas porque tudo é relativo, o fim é quando você decide ser o fim, é um pouco semelhante ao sentimento de satisfação que alcançamos quando chegamos a determinados estágios de nossas vidas mas que logo se passa, afinal o ser humano nunca é completamente feliz e repleto, nossa história de progresso comprova isso, a insatisfação nos leva a conquistar sempre novas coisas, então porque eu deveria considerar diferente isso num jogo de RPG sendo que este tenta ser uma imitação de outra vida forjada por você mesmo? Então eu volto a responder, sim tem um fim, mas o fim é apenas quando você decidir que foi o fim, que você se sente repleto, completo e satisfeito com suas ações, sendo estas boas ou más, egoístas ou altruístas. Mas a graça mesmo não é você chegar a um fim, e sim chegar aos meios, em você ver que seu alter-ego feito de papel e algumas vezes chumbo consegue ser citado pelas histórias no seu mundo imaginário, a exemplo um heróico cavaleiro que eleva os ânimos dos cidadâos que ele ajudou a proteger de um dragão sempre que ele passa, como se seus espíritos se enchessem de esperança por haver alguém capaz de fazer a diferença, ou por outro lado um lorde que subiu em conceito muito rapidamente e logo se manteve os centros das atenções na côrte, onde a inveja e o rancor faz com que as pessoas tentem sempre conspirar por sua derrubada iminente para levá-lo de sua vida privilegiada para uma vida de humilhação e desgraça onde ninguem mais irá confiar nele. E me perguntam qual a graça de jogar RPG? Bem, a graça são as emoções que o jogo lhe proporciona quando você consegue entrar bem no seu personagem, afinal o jogo é mais que assassinar criaturas míticas e desenvolver poderes sobrenaturais, é um jogo de emoções, o que me lembra ainda que um dos melhores cenários que eu já utilizei é um que se foca totalmente no medo dos jogadores.

DRAGAO

“Você terá que passar por mim primeiro, Dragão!”

Nerdnesday: Rpg = Jogo de Interpretação de Personagens


Já me ocorreu de eu falar pra pessoas que estava indo encontrar amigos pra jogar RPG e logo me perguntaram, ah vocês vão numa Lan? Okay, não é bem assim, apesar de ser um jogo não é necessariamente eletrônico, mas não tem como as pessoas ouvirem falar tudo sobre o mundo todo, então antes que eu começasse a falar aqui sobre RPG de mesa, ou de tabuleiro vou precisar fazer uma introdução e dar uma breve explicação, a partir de hoje às quartas-feiras teremos a Nerdnesday, dia em que escreverei sobre um dos passatempos nerds mais difundidos atualmente.

Primeiramente o que é RPG e quais os estilos existentes?

Bom, hoje não irei me focar em “o que é RPG” e sim em “se eu gosto disso, pra qual ramo do RPG eu deveria seguir?”. Existem vários sistemas de regras e cenários lançados pra esse hobbie, mas todos eles servem pra jogar a mesma coisa, no entanto um estilo de jogo pode ser melhor abordado por um sistema de regras ou outro, dentre meus conhecidos e praticados existem, irei usar alguns filmes, desenhos e séries de TV conhecidos para ajudar na referência:

GURPS : De longe o mais completo sistema de regras que eu já vi, basicamente se você tiver um pouco de paciência pode-se jogar de tudo em gurps, variando em fantasia medieval (O Senhor dos Anéis, Conan, Nárnia), Ficção científica (Guerra nas estrelas, jornada nas estrelas, Alien, Predador, O Exterminador do Futuro…), Cyberpunk (Bladerunner, Aeon Flux, Minority Report, Matrix), Horror (Drácula de Bram Stoker, A Volta dos Mortos Vivos, Supernatural) e Outros, eu particularmente não sei como eu poderia limitar gurps de alguma forma, é facil de aprender se você souber absorver o relevante, mas complicado se você segue tudo à risca.

D20 System: Um sistema genérico criado pra tentar unificar os sistemas de regras e assim liberar a imaginação de escritores para criar apenas novas ambientações e histórias, basicamente um dos sistemas mais jogados no mundo atualmente, ele tem a mesma generalização do gurps, embora seja um pouco pobre no quesito de incentivo à interpretação, normalmente pode se tornar um jogo focado na estratégia se os jogadores esquecerem que estão jogando um jogo de interpretação. Suas ambientações variam semelhantemente ao GURPS, inclusive sendo o sistema adotado oficialmente para se jogar Star Wars.

Storyteller: Sistema criado para se focar histórias de horror, interpretação e/ou investigação, o mais rico em incentivo de interpretação, mas ainda assim focado em fantasia. Seu mundo normal de ambientação é o mundo das trevas, totalmente semelhante ao nosso mundo em época e história, mas tendo a existência de não só pessoas normais, como também vampiros (Semelhante aos dos livros de Anne Rice, Entrevista com o vampiro), lobisomens (semelhantes aos de Um lobisomem americano em Londres) , magos (Pessoas normais que conseguem manipular a realidade, lembra os despertos de matrix DENTRO da matrix) e caçadores (pessoas extraordinárias que caçam as criaturas que habitam o mundo das trevas, semelhante às da série Supernatural).

Daemon: Sistema genérico muito semelhante ao D20, é nacional e portanto mais acessível e simples de se aprender. Suas ambientações assim como o GURPS e D20 são praticamente infinitas.

Defensores de Tóquio (3D&T): Outro sistema genérico nacional, mas que tem maior facilidade de adaptação dos heróis de animes, séries japonesas e qualquer outra forma de super-herói, também é favorito na adaptação de jogos de vídeo-game e computador.

Dados usados em alguns RPGs

Veja também:

Caverna do Dragão (Dungeons & Dragons), Desenho baseado no jogo Dungeons & Dragons tão baseada que o título em inglês é o mesmo do jogo.

Dungeons & Dragons: A Aventura Começa (Dungeons & Dragons), nada a ver com o desenho caverna do dragão, apesar do nome do filme ser o mesmo nome do desenho.

Kindred: The Embraced : Série de TV baseada no mundo das trevas, mais específicamente focado na existência dos vampiros.

Anjos da Noite / Anjos da Noite 2: Quase foi processado pela empresa responsável pelo mundo das trevas pela extrema semelhança das ambientações, mas leves diferenças permitiram o lançamento. É um bom ponto de referência para essa ambientação.

Matrix: Pode dar uma idéia do mundo das trevas quanto às idéias do mundo não ser o que parece e que as pessoas podem manipular a liberdade contanto que vejam a verdade. “Não entorte a colher, apenas veja que não há colher”

Entrevista com o Vampiro: Outra dica de filme para entender como seria uma história de horror com personagens vampiros, onde o protagonista cada vez mais percebe que está sozinho, por mais que tenha alguém.

Supernatural: Série de caçadores de demônios e criaturas sobrenaturais pode dar o clímax da história de horror onde você pode não apenas ser o Caçador, mas também pode ser a Presa, ou citando um suplemento de regras de mesmo nome, sobre “Caçadores Caçados”.

Vou parando por aqui antes que a lista fique grande demais, da mesma forma alerto, as sugestões são extremamente tendenciosas refletindo meu próprio estilo de jogo.

Bom, por enquanto é isso, até a próxima Nerdnesday.

Marvel vs Dc vs Capcom


Os fãs de quadrinhos já devem conhecer a revista de nome DC vs Marvel, onde o universo Marvel e o universo DC se encontram na forma de dois irmãos geradores de mundos distintos que fazem uma aposta pra ver quem é o mais poderoso, logo alguns dos heróis e vilões dos dois universos se degladiam na história, no entanto ganhava o herói que tivesse mais fãs. Mas e se você pudesse jogar um jogo de luta disso? A princípio não foi lançado nada na época, mas hoje em dia existe o M.U.G.E.N., o Mugen é uma engine de jogo, ou para os leigos poderia ser um jogo semi-pronto, no melhor estilo de brinquedos de montagem, você tem certas cosias disponíveis e cabe ao usuário tentar montar algo legal pra os outros brincarem e tem gente trabalhando pra lançar esse jogo, inclusive já tem um vídeo no youtube do progresso atual. Mas enquanto não se pode jogar isso existem várias outras opções de jogos criados pra MUGEN que nunca foi visto antes, já vi até jogo dos cavaleiros do zodíaco!

Para jogar qualquer jogo criado para MUGEN ainda é necessário ter o MUGEN instalado em sua máquina, então para mais informações sobre o mesmo acessem o site MugenBR que é um bom site brasileiro especializado em mugen.

Abaixo segue um vídeo que encontrei no youtube sobre o início do Marvel Vs DC Vs Capcom, uma bela salada de lutadores!

http://www.youtube.com/watch?v=DvPb951pGUk