Próximo mês será lançado o novo álbum do Marilyn Manson que será chamado de “Eat me, Drink me” nome este que pode se referir à Alice no País das Maravilhas, mas também à Eucaristia. No entanto fala-se que o nome do álbum é na verdade uma referência a um caso real de canibalismo que ocorreu na Alemanha em 9 de março de 2001 e já foi inspiração para o single “Mein Teil” do Rammstein e rendeu um filme chamado Rohtenburg (Grimm Love nos EUA). O auto intitulado anticristo também afirma que o álbum vai ter um clima mais romântico, mas nada relacionado ao seu divórcio com a atriz e dançarina Dita Von Teese, ele afirma que o álbum vai exaltar o amor pela vida, e como deveríamos viver e aproveitá-la como se dentro de um filme.

Pra quem quiser saber sobre o ato canibalístico, eis o ocorrido. Em março de 2001 um anúncio foi colocado em um site alemão: “Procuro homem bem constituído, dos 18 aos 30 anos, para ser esquartejado e devorado”. Obteve-se 200 respostas, no entanto o único que falou sério foi Jürgen Brandes, engenheiro informático, 43 anos que sempre teve a fantasia de ser devorado. Foi então na noite de 9 de março de 2001 que Armin Meiwes e ele começaram a fazer o combinado. Para testemunhar que foi livre arbítrio, a noite foi registrada em vídeo que posteriormente foi visto por uma audiência de tribunal para determinar a sentença de Meiwes, o registro foi da castração de Brandes com uma faca de cozinha, seguido da fritura do pênis em azeite e alho e ao seu consumo por ambos, acompanhado por uma garrafa de vinho sul-africano. Só sei que isso deu um novo sentido à palavra perversão no meu dicionário.

Marilyn Manson toma Absinto

Marilyn Manson faz pose com o absinto.

Aproveitem agora um fan-made vídeo do Marilyn Manson, do cover feito por ele da música This is Halloween, tirada do filme The nightmare before christmas de Tim Burton.