Se Chico Buarque está para a Mangueria como Senna está para o Brasil, Jamelão era Pelé. Hoje, infelizmente ele partiu dessa para melhor, como todos nós um dia faremos.

Já dizia o própio Chico que “Jamelão era o melhor mau-humor do Brasil” devido ao modo sempre ranzinza que ele tratava a vida e as coisas.

Aqui estão alguns momentos célebres de quando ele estava no auge de sua “ranzinzisse”:

  • “Tirar a roupa é bom, mas tirar foto não.”
  • “Sai pra lá minha filha, que negócio é esse? Tá pensando que eu sou pai-de-santo?” – Depois de uma senhora beijar sua mão.
  • “Não! Não sei onde você andou com essa boca!” – para uma fã que quis lhe beijar na bochecha
  • “Nem posso tomar um goró, o médico proibiu. Me mandou tomar água. Mesmo com o mundo caindo lá fora, com São Paulo se afogando e morros se desfazendo de tanta água. Mas isso vai passar. Em fevereiro, não haverá doutor que me segure. Vou mergulhar…” – Queixou-se ele, com copo na mão, numa quarta-feira de chuva forte.
  • “Não sou puxador de samba, sou intérprete. Puxador é quem fuma maconha ou rouba carro”
  • quando, ao ser perguntado pelo jornalista, porquê o sambista vivia de cara fechada e nunca ria, respondeu: “Rir de quê?”


  • “Antigamente se fazia um samba mais cadenciado, hoje a bateria sai tuc-tuc-tuc. Parece até uma parada militar. Todo mundo marchando: desfile militar de samba”

Ele é de outros carnavais (literalmente) quando carnaval era uma coisa legal, com bons sambas enredos… nada de rimar “união” com “diversão” com “pão” e achar que está fazendo música.

Carnaval hoje é uma porcaria pra se ganhar dinheiro e passar na Globo. Não à toa os grandes nomes, como Paulinho da Viola, nem participam mais do carnaval.

Fora que os sambas de hoje parecem ser ligados numa tomada 220v… sem melodia.

Dá pra notar bem isso se a gente pegar o samba enredo de 82 da União da Ilha que foi reeditado em 2008:

É hoje – 1982

É hoje – 2008

É triste ver toda a cultura, seja popular ou não, ficar instrumentalizada e ser usada apenas como mais uma forma de se conseguir uns troquinhos.

O que me faz lembrar, inclusive, outro vídeo:

“Ou seja: Power Rangers!”

Descanse em paz, grande Jamelão, e não se preocupe que o Samba agoniza, mas não morre jamais.

Como dizem: Malandro não pára…. Malandro dá um tempo.

Até a próxima.