Provavelmente em algum ponto da vida qualquer pessoa em sã consciência deve ter chegado à mesma conclusão que eu: “A porra da humanidade está super valorizada”.
Nós seres humanos somos um estorvo, parasitas super potentes que supostamente evoluíram com o tempo, nós somos baratas de duas pernas.

Nenhum animal da face da terra caga onde come, aliás, um, nós.

Nesse caso eu não digo literalmente cagar onde come, seria mais como “cuspir no prato em que come”, nossos queridos antepassados lutaram e batalharam por direitos místicos e fenomenais para a nossa geração literalmente fuder com tudo.

Por um lado temos o povo, o GADO, alimentado  à ração de arroz e feijão, servos de um sistema público ridículo que se dá a liberdade de fazer o que bem entende sem medo algum de sofrer represálias.

No outro extremo temos os SENHORES DO GADO, vulgarmente conhecidos como ricos, que estão pouco se fudendo pra qualquer coisa por que eles se dão ao luxo.

E na “meiuca”, temos a classe média e os jovens do novo milênio, pessoas que supostamente deveriam levar a nossa sociedade a tão esperada salvação.

Neste texto, vou me focar ao meu meio, tentando não ser hipócrita o que é deveras difícil nesse caso.

Nós, vermes, sociedade em geral, não valemos nada, VOCÊ não vale nada, o vizinho NÃO VALE NADA, e por incrível que pareça, seu pastor/padre/mãe de santo/chefe de centro espírita TAMBÉM não vale nada.

Fomos todos doutrinados pela mídia e pelo governo e por uma gama gigantesca de fatores a sermos absolutamente nada.

O mundo não é o que me prometeram, eu deveria ser estrela de cinema, ou astronauta, não era isso que o anuncio dizia? “Você pode ser o que você sonhar”.

Sei, somos uma geração de pedreiros, garçonetes, eletricistas e toda outra gama de subempregos.

O que se pode esperar de uma geração sem limites, sem regras e principalmente sem educação?

“Ah, mas existe luta social” diz o garotinho lá do fundo…

De fato, existe, mal direcionada, mal embasada, mal exemplificada, nossos revolucionàrios atuais ganham a vida parasitando nas faculdades, galgando postos de DCE em DCE para evoluir para partidos, e futuramente chegar a vereadores, prefeitos, governadores e presidentes.

Sinceramente, você, pense um pouco, votaria em uma pessoa que passou parasitando a vida INTEIRA? Ele deve liderar o resto todo de parasitas que formam o nosso pais?

“Ahhh, o cara não é um parasita, ele é um ativista polí ticolí9ticoue são tão uteis quanto fisicos teoricos, que não descobrem nada que preste desde de 1800 e lá vai pedrada.

Mas é assim mesmo, vamos levando, na TV a mulher diz que devemos acreditar em politicos, que a policia não é nossa inimiga, que tudo vai dar certo.

E assim vamos nós, desgovernados em um onibus lotado até o talo, todos cochichando sobre os problemas sem realmente reclamar.

Chegamos em casa e nos damos ao luxo de abrir uma cerveja e refletir sobre a vida, absorvidos pela Ana Maria Braga que provavelmente estará falando qualquer merda sobre a ultima tragédia que se deu e fez sucesso na mídia, seja lá a guria que tomou um tiro ou o guri que foi arrastado pelo carro que os bandidos roubaram.

Depois disso entraremos todos em comoção, iremos em massa, literalmente apreciar a desgraça alheia e dar graças e deus que não foi conosco. Se pergutarem, somos amigos da vitima, “SOMOS VITIMAS também, ei, nos deem atenção, estamos suplicando.”

Passado o choro, a vela e fita amarela, vamos ouvir nosso pastor, que vai dizer que devemos perdoar todo tipo de merda que jogam em cima da gente. Obviamente sem esquecer os 10% da igreja é claro, o resto é resto.

Mas no final das contas, se você não gostou, você pode se trancar em casa, aumentar o som do seu stereo fodastico que você ainda tem que pagar 912831902381 de prestações para realmente ser seu, com o seu CD pirata comprado na esquina  que foi “uma pechincha” e esquecer de todo o resto.

“QUE SE FODA TUDO ISSO!” digo eu e botarei meu fone de playboy comprado no camelô, abrirei meu programa de baixar músicas piratas e vou escutar “Geração Coca-Cola” do Legião Urbana.

Tomarei outro gole dessa vodka barata, afinal, “Se uma mente pensante como a minha não encher a cara, acaba se matando” como diria uma querida amiga minha.

AHOY, vamos todos correr em direção a luz, de mão dadas é claro, esperando o super Jesus, chegar voando em um colante branco com capa e tudo para nos mostrar a salvação.

Nota mental: Fodam-se todos vocês